terça-feira, 1 de janeiro de 2019

O Exercício e o bem-estar emocional


Resultado de imagem para exercise and brain healtho exercício físico tem-se mostrado um elemento crucial para promover o bem-estar mental. Os estudos de Andrea Dunn e sua equipa, publicados no American Journal of Preventive Medicine em Jan de 2005 mostraram que os exercícios aeróbios em doses consistentes é efectivo para o tratamento em pessoas com depressão média moderada enquanto que pouco exercício aeróbio tem o mesmo efeito que os placebos.
Aproveite a oportunidade que o novo ano traz e coloque como objetivo iniciar uma atividade física. O seu corpo e mente agradecem!

O Sedentarismo e a Depressão


Resultado de imagem para depressãoA ligação dentre o sedentarismo e a depressão é muito real. Já no século XIX Ellen White, no seu livro A Ciência do Bom Viver pags 272 e 273, escreveu: “Deve-se conceder aos pulmões a maior liberdade possível, sua capacidade se desenvolve pela liberdade de ação; diminui, se eles são constrangidos e comprimidos. Daí os maus efeitos do hábito tão comum, especialmente em trabalhos sedentários, de ficar todo dobrado sobre a tarefa em mão. Nesta postura é impossível respirar profundo. A respiração superficial torna-se em breve um hábito, e os pulmões perdem a capacidade de expansão. ...Assim é recebida uma deficiente provisão de oxigênio. O sangue move-se lentamente. Os resíduos, matéria venenosa que devia ser expelida nas exalações dos pulmões, são retidos, e o sangue se torna impuro. Não somente os pulmões, mas o estômago, o fígado e o cérebro são afetados. A pele torna-se pálida, é retardada a digestão; o coração fica deprimido; o cérebro nublado; confusos os pensamentos; baixam sombras sobre o espírito; todo o organismo se torna deprimido e inativo, e especialmente suscetível à doença.”

domingo, 30 de dezembro de 2018

Depressão


Resultado de imagem para depressãoAo logo dos anos muito se tem debatido sobre a depressão. A definição mais simplista de depressão é a de transtorno do humor. Para os investigadores Telles e Barbosa alguns dos sintomas básicos do estado depressivo está diretamente relacionado com a visão negativa de si mesmo; visão negativa das suas interações com o meio ambiente onde a principal atitude por parte do doente é achar-se totalmente desenquadrado; e por fim visão negativa do futuro onde tudo lhe parece muito obscuro.
Quanto falamos dos sintomas da depressão, o que vêm à nossa mente são pessoas tristes, que recusam a fazer a sua rotina normal de atividades da vida diária, que recusam a se envolverem socialmente, com uma híper sensibilidade emocional, que choram com mais facilidade, entre outros. Entretanto esses são apenas os sintomas visíveis. Existe também os sintomas mais camuflados. Alguns psicólogos entendem que o cansaço constante, a facilidade em irritar-se, a indiferença aos afetos, o desinteresse nas atividades outrora prazerosas, o apego a maus hábitos alimentares como elemento de fuga, sentimento excessivo da pressão social, oscilação contínua do humor podem ser sintomas de um estado depressivo.

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Ajuda na Depressão



Participe do projeto da Vita Salus. Contactos e informações através do link: 

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

O Sistema Muscular e o Exercício Físico


Resultado de imagem para muscle and exerciseA estrutura muscular do corpo humano é tão grande que o mundo científico ainda não chegou a um acordo sobre a quantidade exata de músculos que temos. Calcula-se que existam entre 640 a 850 peças desse grande puzzle, dependendo da escola de investigação. Entretanto, são unânimes em classificá-los entre três grandes grupos: os músculos esqueléticos, os músculos lisos e os músculos cardíacos.
Quando chegamos a uma fase mais avançada no processo do envelhecimento a tendência natural é a diminuição acentuada da massa muscular de todo o sistema. Quando essa redução drástica da massa muscular entra num processo irreversível, chama-se síndrome sarcopénica. As investigações lideradas por Aniasson, Grimby, Lexell, Fiatarone e Evens, chegaram à conclusão que 100% dos idosos são afetados por esse mal silencioso. Daí surgem a perda do controlo dos esfíncteres e a dificuldade no movimento, o que gera redução dramática da autonomia e consequentemente maior dependência do idoso.
A boa notícia é que a síndrome sarcopénica pode ser atrasada ou mascarada se mantivermos uma vida em que o exercício físico seja parte da rotina. Isso foi observado no trabalho desenvolvido por Thiebauld e Sprumont. Quanto mais movimentarmos o nosso corpo com exercício físico, maior será a resposta muscular. E quanto mais cedo fizermos disso uma prática, melhores resultados iremos obter e o processo da síndrome sarcopénica será cada vez mais atrasado.
Por outras palavras, está nas nossas mãos a possibilidade de atrasar o nosso relógio interno que determina o nosso envelhecimento. Isso é possível graças a prática constante de exercício físico.

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Exercitar para estimular o Sistema Nervoso


Resultado de imagem para sistema nervoso e o exercicio fisicoO sistema nervoso é constituído pelo cérebro, cerebelo, medula espinhal e um enorme conjunto de ramificações que constituem uma complexa cadeia de teia nervosa, todos conectados na medula espinhal que por sua vez está conectada ao cérebro. Esses nervos percorrem todo o nosso corpo, até as suas extremidades mais periféricas, enviando e recebendo informações para o bom desempenho do nosso corpo.
Algum tempo atrás o conceito popular era que as pessoas que faziam muito exercício físico ficavam com atrofia cerebral. Estudos muito sérios como os de Bullit, Katz e Bonito publicados na revista científica RSNA de 2008 apontam para o exercício físico como agente fundamental na irrigação sanguínea do cérebro, mesmo nos vasos mais finos, desencadeando assim um maior desenvolvimento cerebral, comparado com idosos sedentários.
O exercício não beneficia somente a parte física funcional, mas também atua na expansão das capacidades cognitivas, na memória e no humor. Tudo isso graças à estimulação na produção de hormonas provocada pelo exercício. É por esse motivo que estudiosos nas áreas do mal de Alzheimer e outras doenças do campo da neurociência têm dedicado atenção especial nesse assunto.
Cada vez mais tem se observado que os benefícios abrangem uma esfera muito maior do que se espera quando se trata dos benefícios do exercício físico no cérebro humano. 

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Como a Prática de Exercício Físico pode beneficiar o Sistema Urinário


Resultado de imagem para xixi urgente
Muito se têm debruçado sobre os motivos que levam a uma infeção urinária. Poderíamos apontar diversas situações, até mesmo de foro psicológico e comportamental que levam a essa doença tão comum nos dias de hoje, mas um dos pontos vitais para o surgimento de uma infeção desse tipo passa pela permanência de urina na bexiga por um limite de tempo muito acima do normal. A urina estagnada no interior da bexiga desenvolve um excelente meio de reprodução rápida para micro-organismos que por sua vez irão provocar uma série de infeções. 
O efeito do exercício físico pode influenciar o nosso sistema urinário de uma forma positiva em três pontos: na filtragem das impurezas do sangue, essa ação é menos visível; na eliminação da urina incontrolada, ou mais propriamente dito, na incontinência urinária; e na prevenção de infeções urinárias.
Tem sido observado cada vez mais pela medicina que o exercício físico melhora a circulação sanguínea. Dessa forma o sistema de filtragem do sangue torna-se mais eficiente. É através da prática de exercício físico que os rins também recebem impulso para melhor desenvolver as suas funções. Os investigadores relacionados com a nefrologia têm observado que a prática de exercício ajuda a prevenir a formação de pedras nos rins.

domingo, 12 de agosto de 2018

O Exercício Físico e o Sistema Reprodutor Humano


Imagem relacionadaQuando os pesquisadores começaram a avaliar os efeitos da prática do exercício físico no sistema reprodutor, o foco inicial estava sobre a mulher, mas logo também começaram a avaliar esses efeitos também sobre o sistema reprodutor masculino. A US National Libery of Medicine publicou um artigo dando enfase ao facto de que o exercício físico regular está associado a um dos agentes que contribuem para o aumento da produção da hormona testosterona. De facto, os artigos de CummingWheeler GDMcColl, publicados pela US NLM mostram que a atividade física tem uma gama de efeitos sobre a função reprodutiva masculina dependendo da intensidade e duração da atividade e da aptidão do indivíduo. Mais recentemente a revista científica Andrology Australia, de junho de 2015, publicou um artigo em que é apresentada uma investigação em que mostra a ligação entre a saúde cardiovascular e a capacidade de reprodução masculina. A ciência ainda está a investigar o motivo pelo qual as hormonas responsáveis pela reprodução humana têm um desenvolvimento mais acentuado nas pessoas que praticam uma atividade física regular, mas vários fatores poderão estar ligados a isso, tais como: melhor circulação sanguínea, menor nível de colesterol, melhor oxigenação do corpo, maior grau de imunidade e tantos outros fatores que permitem ao corpo uma saúde global melhor.